Kassio Nunes: o indicado de Bolsonaro para o STF que causou mais um rompante bolsonarista

Formado em direito pela Universidade Federal do Piauí, Nunes fez especialização em processo e direito tributário na Universidade Federal do Ceará, concluiu o mestrado em direito constitucional na Universidade Autônoma de Lisboa (Portugal) e o doutorado na Universidade de Salamanca (Espanha).

Ele advogou por quinze anos até se tornar juiz do Tribunal Regional Eleitoral do Piauí e entrar para o Tribunal Regional Federal (TRF-1) como cotista em 2011, escolhido por Dilma Rousseff, então presidente.

A indicação causou revolta no clã bolsonarista e mais um rompante com ativistas apoiadores do governo aconteceu. As acusações são diversas: dizem que ele apoia o aborto, e a licitação do desembargador , no TRF-1, que liberou a suspensão de um pregão de R$ 1,1 milhão para consumo de lagostas no STF, em 2019.

Bolsonaro rebateu: “… vão desqualificar só por causa do cardápio do supremo? (…) não tem nada demais comer lagosta, qual problema? Quem pode come, quem não pode não come.”

Em uma tentativa de defesa desesperada e infantil, o perfil oficial do presidente no Facebook passou a discutir com seguidores que cobravam posicionamento.

O perfil chega a tentar uma ironia sobre a intensão de indicação de Moro para o STF, muito estimada em tempos de campanha.

Mesmo tentando se explicar, o presidente continua sendo alvo de críticas na internet.

Janaina Paschoal, deputada e professora de direito, criticou pontualmente a indicação:

Clique para ler no Twitter
Clique para ler todos Twitters

Na tentativa de defesa do presidente, Carla Zambelli, a prezada, tenta agredir Sérgio Moro após dizer que: “Centenas de milhares de pessoas nos perguntam, desde ontem, minha opinião sobre a indicação para a vaga no STF. Não é meu papel sabatinar o Dr. Kassio Nunes. Essa tarefa compete aos Senadores, e não aos Deputados. (…) Confio no Presidente. Darei este voto de confiança a ele. E continuo desejando com todo meu coração que o Brasil esteja acima de tudo e D’us acima de todos.”

Carlos Bolsonaro, apontado como o “publicador” das redes sociais do pai, tentou minimizar as fotos que estão postadas da reunião privada de Bolsonaro, mas também foi alvo de duras críticas:

Uma seguidora rebateu:

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Crie um site ou blog no WordPress.com

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: